BOLSA DE OPORTUNIDADES DE NEGÓCIOS

BOLSA DE OPORTUNIDADES DE NEGÓCIOS “ALENTEJO, PLANÍCIE DE OPORTUNIDADES”

Ao longo da realização das actividades do projeto – Ateliers de Criatividade, Ação-Piloto, Fórum Regional – iremos disponibilizar portfólio de oportunidades e ideias de negócio de base regional, identificadas nos eventos do projeto.

PDF – BOLSA DE IDEIAS DE NEGÓCIOS

ALIMENTAÇÃO E FLORESTA

1. Organização de produtores da castanha e frutos secos. Criação de uma estrutura de produção, transformação e comercialização de produtos agroalimentares
2. Produção de hortícolas e frutos vermelhos em estufas com sistema de hidroponia
3. Produção, secagem e transformação de pistachio
4. Criação de empresa de comercialização de produtos diversificados tais como sementes, tubérculos, frutos secos, tremoços, entre outros
5. Fabricação de produtos à base de medronho como bolos, compota, licores, mel e produtos de pastelaria
6. Criação de empresa dedicada à transformação de insetos em produtos com valor calórico e nutricional semelhante aos produtos cárneos. Em paralelo seria criada uma linha de snacks.
7. Criação de estabelecimento de confecção e comercialização de alimentos em regime de take away, de cariz saudável e vegetariano.
8. Cultivo e transformação de Figo da Indía.
9. Criação de cadeias de comercialização de produtos biológicos, proximidade ao consumidor e incentivo à produção de produtos biológicos.
10. Produção de pratos de gastronomia alentejana com base em produtos locais, acondicionado em vácuo para ser vendido em lojas gourmet, restaurantes e lojas de produtos locais.
11. Prestação de serviços para divulgação, implementação, comercialização do azeite no mercado asiático. Promover no regime alimentar asiático como um bem indispensável à saúde.
12. Criação de empresa vocacionada para a divulgação da oferta gastronómica da região. A ideia assenta na criação de um passaporte que seria carimbado pelos clientes quando se deslocam aos restaurantes/tabernas. As receitas teriam origem na publicidade a pagar pelos estabelecimentos aderentes.
13. Criação de uma empresa cujo principal objetivo será a prestação de serviços de frio, isto é, a disponibilização de um local de grande dimensão, com espaços variáveis de armazenamento ao qual as empresas que necessitam de armazenar os seus produtos em frio podem recorrer.
14. Confeção de produtos gastronómicos alentejanos embalados em vácuo, o que aumenta a durabilidade da vida útil do produto. Este processo de embalamento em vácuo permite manter a frescura do produto por um período de tempo mais longo. Maior qualidade e frescura destes produtos nos processos de exportação.
15. Soluções inovadoras na agricultura de precisão, que permitam uma melhor gestão e facilidade de reconhecimento de dados e monitorização de atividades agrícolas. Também poderão ser criadas, no âmbito desta ideia, soluções para a gestão da floresta (gestão florestal de precisão).
16. Aproveitamento da biomassa proveniente das explorações florestais, substituindo o consumo energético convencional por energia produzida através de biomassa.
17. Desenvolvimento de soluções inovadoras na indústria alimentar, nomeadamente no segmento do arroz, podendo envolver produtores de arroz, equipas de I&D do Sistema Científico e Tecnológico Nacional e produtores de outros ingredientes como os cogumelos, o tomate, os espargos, as algas, entre outros. Este projeto permite estudar diferentes possibilidades de aliar o arroz e outros alimentos, o que se traduz num produto totalmente inovador no mercado.
18. Reaproveitamento do desperdício nas produções alimentares. Muito do melão ou do tomate produzidos na região não é aproveitado devido a estar demasiado maduro ou batido. Desta forma, pretende-se com esta ideia criar dinâmicas de parceria regulares entre os diferentes atores (produtores, indústria e investigadores) de modo a identificar e trabalhar oportunidades inovadoars que possibilitem subir na cadeia de valor e aproveitar oportunidades de economia circular e de valorização de resíduos.

PATRIMÓNIO, INDÚSTRIAS CULTURAIS E CRIATIVAS E SERVIÇOS DE TURISMO

1. Abertura de espaço com artesanato ao vivo (linho, tapetes, bolsas – tolegas, alforges)
2. Turismo em Espaço Rural no concelho de Marvão
3. Unidade de alojamento, preparado para receber animais de companhia e com serviços de Petsitting
4. Criação de rede de empreendimentos turísticos (TER e AL) com características arquitectónicas e de design de qualidade com oferta de serviços complementares à estada nomeadamente experiências de visitação turística a explorações de transformação de produtos.
5. Criação de uma rede de animação turística que inclua alojamento, restauração, artesanato, enoturismo) com percursos e visitas (sensoriais, experiências)
6. Criação de jogos virtuais e software
7. Criação de espaço de restauração que conta a história, através das especiarias, da gastronomia de vários países que tenham tido influência/presença portuguesa.
8. Elaboração de roteiro através de parcerias com empresas e estabelecimentos de ensino de forma a promover os produtos da região. A ideia consiste na criação de uma caderneta onde são colocados os selos que representam cada local visitado.
9. Animação turistica no Alqueva, com base em eventos desportivos (atividades aquáticas), BTT, Trail`s, Todo-o-Terreno, Caça; Observação de Pássaros, Pesca Desportiva, Canoagem, Vela, Golfe.
10. Criação de centro cultural com várias valências: restaurante tradicional, espaço café convívio/lounge/tertúlia, exposição de produtos tradicionais e artesanato, espaço museulógico.
11. Oferta de serviços especializados na área da recuperação do património. Empresa que preste o serviço de organização de atividades nas áreas do património cultural e sua recuperação (material e imaterial), a vender no estrangeiro (intercâmbio entre universidades)
12. Criação de um SPA incidindo sobre a temática do vinho e do azeite (banhos de vinho/azeite, aromaterapia com azeite e ervas, massagens, entre outros).
13. Criação de roteiros de turismo industrial na região, ligados aos produtos tradicionais (cortiça, tomate e arroz, entre outros), apostando em visitas numa lógica de fileira. Esta ideia permitirá a criação de um programa em que as empresas deem a conhecer os seus processos produtivos à população e aos visitantes e turistas, sendo relevante para a fixação de estudantes na região.
14. Circuitos turísticos específicos para o público-alvo sénior, com orientação técnica para os utilizadores. Compreende a promoção de um estilo de vida saudável e o contacto mais próximo com a natureza, aliando o turismo, a cultura tradicional como visitas às vinhas, atividades de simulação de uma “adiafa”, adaptação de atividades ligadas à vindíma, entre outras.

TECNOLOGIAS CRÍTICAS, ENERGIA E MOBILIDADE INTELIGENTE

1. Formação on-line, através da criação de uma plataforma digital para comercialização de conhecimento científico a qual seria objeto de divulgação eficaz em mercados definidos.
2. Desenvolvimento de um produto baseado no comportamento físico do ar, sustentável sem gasto de energia, que filtra o calor e substitui os aparelhos de ar condicionado
3. Criação de uma plataforma de dados e de transporte de doentes não urgentes para consultas programadas, exames médicos ou tratamentos
4. Criação de plataforma logística para transporte de produtos agrícolas.
5. Criação de unidade de transformação industrial vocacionada para transformar a biomassa resultante das podas da vinha e do bagaço de azeitona em energia e outros subprodutos como combustível orgânico para aquecimento doméstico
6. Criação de um adaptador para pens a baixo custo
7. Fabricação de materiais low-cost para generalização das máquinas de jogo em estabelecimentos de restauração e similiares
8. Criação de uma plataforma online que incorpora uma base dados para arrendamento de habitações por curtos períodos de tempo, nomeadamente períodos de férias, viagens de trabalho, entre outras.
9. Aproveitamento de lenhas das podas das oliveiras e das vinhas, o bagaço de azeitona para a criação de alternativas energéticas para salamandras.
10. Criação de sistemas de eficiência energética nas habitações, através de modelo de domótica para utilização em habitação e serviços com optimização racional de consumo.
11. Criação de Parque Fotovoltaico nas margens da alfufeira do Alqueva e produção para fornecimento direto.
12. Produtos resultantes da limpeza do montado/matas e desmatação será utilizado para, após transformação (ex: pelets, brickets, carvão) produzir energia.
13. Criar uma árvore que pudesse ser colocada em jardins, montes, até podia imitar sobreiros/azinheiras (elemento decorativo) que produzisse energia, a título particular e geral (empresas). Árvore Eólica mas especificamente para produção de energia em locais isolados.
14. Instalação de sistemas solares (paineis) em zonas agrícolas de pouca utilidade para venda de energia.
15. Utilização dos excrementos dos animais criados em exploração intensiva, transformando-os em energia eléctrica. Articulação com universidades para investigação neste domínio.
16. Aproveitamento do bagaço de azeitona para aplicação energética melhorando o processo produtivo (redução de poluentes)
17. Desenvolvimento de soluções inovadoras de energia renovável, nomeadamente solar, que permitam um reaproveitamento energético para soluções de refrigeração de reboques de transporte alimentar e para refrigeração das cabines. Esta ideia poderá passar igualmente pelo desenvolvimento de novas soluções energéticas para bicicletas eléctricas.
18. Criação de uma rede de transportes que faça a ligação entre os lugares mais despovoados, que sofrem de uma fraca rede de transportes, e as redes de transportes já existentes, a fim de facilitar quem reside nessas zonas de se movimentar e poder ter acesso total à rede de transportes da região.

TECNOLOGIAS E SERVIÇOS ESPECIALIZADOS DA ECONOMIA SOCIAL

1. Serviços de limpeza ao domicilio para populações idosas
2. Apoio social, desenvolvimento cultural e dinamização psicomotora sénior. O principal objetivo é propiciar o encontro de experiências e de intercâmbio de práticas artísticas, pedagógico-didácticas que sirvam de base ao desenvolvimento de configurações psicomotoras de reforço positivo aos seniores.
3. Negócio de babysitting e kidsitting que aposta numa abordagem inovadora. Serviço prestado numa moradia com jardim, parque infantil e equipada com todos elementos de diversão e conforto valorizados pelas crianças até aos 10 anos com uma equipa constituída exclusivamente por mães experientes, habilitadas a cuidar de crianças de todas as idades e capazes de recriar o ambiente familiar.
4. Serviços de apoio à população sénior, nomeadamente apoio ao domicilio nocturno, prestação de cuidados de higiene, conforto e reabilitação sócio-cultural.
5. Criação de espaço de formação para que as pessoas “excluídas” possam beneficiar da sociedade de informação e integrar a economia do Século XXI.
6. Criação de uma bolsa na qual pessoas idosas desempregadas, reformadas ou de alguma forma limitadas/isoladas possam inscrever-se para disponibilizar o seu tempo e as suas competências/saber-fazer a empresas que tenham interesse nessas atividades, nomeadamente culinária, tradições locais (fazer pão, fazer renda, fazer costura, fazer chocalhos, tirar cortiça, entre outras).
7. Desenvolver uma pulseira electrónica que possibilita ao idoso a sua localização, em tempo real. Esta pulseira também fará alertas para toma de medicamentos, consultas, aniversários, tensão alta, diabetes, entre outros.
8. Criação de uma empresa de prestação de serviços multifacetada que assegure atividades e animação diversa às diferentes entidades que o solicitem. As atividades devem centrar-se essencialmente na estimulação mental/recuperação mental, parte fitness de idosos e lúdica.
9. Criação de distribuidor portátil de medicamentos para uso doméstico.
10. Criação de um Centro de Saúde e Bem-Estar em Medicinas Naturais. Considerando que seis medicinas alternativas foram já regulamentadas em Portugal, é possível às instituições de ensino superior promoverem formação nestas áreas. No desenvolvimento desta ideia deverá ser tida em consideração a articulação com os produtos endógenos.
11. Esta ideia tem como base a criação de atividades para a população sénior que pudessem ser adoptadas pelos serviços de apoio sénior (lares, centros de dia, Inatel, etc…). Esta solução iria compreender atividades radicais, adaptadas a públicos com condições físicas especiais, colocar séniores a realizar atividades únicas que nunca realizaram na vida ou a experimentar atividades consideradas extintas mas que eles realizarm em jovens.
12. Constituição de um espaço (físico e móvel) cujo objetivo consiste no ensino de música a públicos com problemas de adaptação e de integração. Esta oferta cultural funciona como um suporte à melhoria das condições de vida de pessoas com problemas de adaptação social e problemas físicos e intelectuais.
13. Criação de ginásio itinerante com características específicas que permitam a adaptação à prática de pessoas com problemas de mobilidade e séniores. Esta ideia resulta do estabelecimento de parcerias com municipios, escolas, piscinas, outros ginásios, criando assim condições para apoiar a prática desportiva especializada para públicos alvo com dificuldades de mobilidade.